Bíblia Sagrada

ISAIAS, capítulo 1


A visao de Isaias, filho de Amoz, que ele teve a respeito de Juda e Jerusalem, nos dias de Uzias, Jotao, Acaz, e Ezequias, reis de Juda. (1)
Ouvi, o ceus, e da ouvidos, o terra, porque falou o Senhor: Criei filhos, e os engrandeci, mas eles se rebelaram contra mim. (2)
O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel nao tem conhecimento, o meu povo nao entende. (3)
Ah, nacao pecadora, povo carregado de iniquidade, descendencia de malfeitores, filhos que praticam a corrupcao! Deixaram o Senhor, desprezaram o Santo de Israel, voltaram para tras. (4)
Por que serieis ainda castigados, que persistis na rebeldia? Toda a cabeca esta enferma e todo o coracao fraco. (5)
Desde a planta do pe ate a cabeca nao ha nele coisa sa; ha so feridas, contusoes e chagas vivas; nao foram espremidas, nem atadas, nem amolecidas com oleo. (6)
O vosso pais esta assolado; as vossas cidades abrasadas pelo fogo; a vossa terra os estranhos a devoram em vossa presenca, e esta devastada, como por uma pilhagem de estrangeiros. (7)
E a filha de Siao e deixada como a cabana na vinha, como a choupana no pepinal, como cidade sitiada. (8)
Se o Senhor dos exercitos nao nos deixara alguns sobreviventes, ja como Sodoma seriamos, e semelhantes a Gomorra. (9)
Ouvi a palavra do Senhor, governadores de Sodoma; dai ouvidos a lei do nosso Deus, o povo de Gomorra. (10)
De que me serve a mim a multidao de vossos sacrificios? diz o Senhor. Estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e nao me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes. (11)
Quando vindes para comparecerdes perante mim, quem requereu de vos isto, que viesseis pisar os meus atrios? (12)
Nao continueis a trazer ofertas vas; o incenso e para mim abominacao. As luas novas, os sabados, e a convocacao de assembleias ... nao posso suportar a iniquidade e o ajuntamento solene! (13)
As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; ja me sao pesadas; estou cansado de as sofrer. (14)
Quando estenderdes as vossas maos, esconderei de vos os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas oracoes, nao as ouvirei; porque as vossas maos estao cheias de sangue. (15)
Lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal; (16)
aprendei a fazer o bem; buscai a justica, acabai com a opressao, fazei justica ao orfao, defendei a causa da viuva. (17)
Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sao como a escarlata, eles se tornarao brancos como a neve; ainda que sao vermelhos como o carmesim, tornar-se-ao como a la. (18)
Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra; (19)
mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados a espada; pois a boca do Senhor o disse. (20)
Como se fez prostituta a cidade fiel! ela que estava cheia de retidao! A justica habitava nela, mas agora homicidas. (21)
A tua prata tornou-se em escoria, o teu vinho se misturou com agua. (22)
Os teus principes sao rebeldes, e companheiros de ladroes; cada um deles ama as peitas, e anda atras de presentes; nao fazem justica ao orfao, e nao chega perante eles a causa da viuva. (23)
portanto diz o Senhor Deus dos exercitos, o Poderoso de Israel: Ah! livrar-me-ei dos meus adversarios, e vingar-me-ei dos meus inimigos. (24)
Voltarei contra ti a minha mao, e purificarei como com potassa a tua escoria; e tirar-te-ei toda impureza; (25)
e te restituirei os teus juizes, como eram dantes, e os teus conselheiros, como no principio, entao seras chamada cidade de justica, cidade fiel. (26)
Siao sera resgatada pela justica, e os seus convertidos, pela retidao. (27)
Mas os transgressores e os pecadores serao juntamente destruidos; e os que deixarem o Senhor serao consumidos. (28)
Porque vos envergonhareis por causa dos terebintos de que vos agradastes, e sereis confundidos por causa dos jardins que escolhestes. (29)
Pois sereis como um carvalho cujas folhas sao murchas, e como um jardim que nao tem agua. (30)
E o forte se tornara em estopa, e a sua obra em faisca; e ambos arderao juntamente, e nao havera quem os apague. (31)